TV venezuelana é investigada por suposta violação de lei eleitoral

Caracas, 27 nov (EFE).- A Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) da Venezuela iniciou hoje um procedimento administrativo contra a emissora de TV privada Globovisión pela suposta violação das leis eleitorais durante o pleito regional e municipal de 23 de novembro.

EFE |

"Que seja bem-vindo o novo procedimento e vamos nos defender.

Sabemos que não é uma decisão da Conatel, mas do presidente (Hugo Chávez)", disse o diretor da "Globovisión", Alberto Ravell.

A emissora será investigada por transmitir ao vivo um discurso do novo governador do estado de Carabobo, Henrique Salas, quando os resultados oficiais ainda não tinham sido divulgados.

Salas afirmou no discurso que era o vencedor das eleições e incitava seus seguidores a tomar a sede eleitoral local.

"Nós colocamos no ar os dois governadores que democraticamente fizeram uma denúncia, e isso também foi feito por outros canais", assinalou Ravell.

O diretor da "Globovisión" afirmou que a Conatel e o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) não são imparciais, porque a lei também foi reiteradamente violada por meios de comunicação oficiais e pelo próprio presidente Chávez.

Marcos Hernández, funcionário da Conatel, disse que a "Globovisión" violou a lei ao transmitir Salas "pronunciando um discurso no qual incita a população a tomar a junta eleitoral regional para reivindicar seu triunfo, que nesse momento não tinha sido confirmado". EFE rr/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG