TV da China inaugura em São Paulo operações na América Latina

Com CCTV América Latina, Pequim quer aprofundar relações com Brasil e região; presidente da Band diz que terá parceria com rede

Leda Balbino, iG São Paulo |

Luciano Trevisan
A diretora da CCTV América Latina, Ye Lulu
Como parte de sua expansão internacional, a estatal CCTV (Televisão Central da China) realizou entre às 11h e às 14h desta terça-feira em São Paulo a cerimônia de inauguração de suas operações na América Latina.

Com sede na capital paulista, a CCTV latino-americana começará suas transmissões para a China em 2011 com 35 profissionais, incluindo 20 em São Paulo. Segundo a diretora da CCTV latino-americana, Ye Lulu, os demais funcionários atuarão em sucursais na Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, México, Peru e Venezuela.

A escolha de São Paulo como sede da CCTV América Latina deveu-se à influência do Brasil na região e à infraestrutura da capital paulista, afirmou a diretora. “Atravessamos 17 mil quilômetros para chegar à terra do samba e do futebol. A CCTV é uma janela para a China conhecer o mundo e vice-versa”, afirmou Ye Lulu durante discurso na cerimônia de inauguração em Pinheiros.

Em seus pronunciamentos para cerca de 100 convidados, o vice-presidente da CCTV, Zhang Changming, e o embaixador da China no Brasil, Qiu Xiaoqi, indicaram que a CCTV América Latina representará uma oportunidade de incrementar ainda mais as crescentes relações de Pequim com a região e o País. “O Brasil está em ascensão e tem com a China posições similares em várias questões internacionais”, afirmou o embaixador, lembrando que Pequim se tornou neste ano o maior investidor estrangeiro no País.

Já o vice-presidente da CCTV enalteceu a ampliação da relação bilateral sino-brasileira, enfatizando que a China é o principal parceiro comercial do Brasil desde abril de 2009. Em seu discurso, ele agradeceu o apoio do governo federal, das administrações municipal e estadual de São Paulo e das redes brasileiras, como Bandeirantes e Globo, para a implantação da emissora na capital paulista.

Presente no evento, o presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, João Carlos Saad, também discursou na cerimônia e ficou ao lado do embaixador e do vice-presidente da rede chinesa quando uma bola de cristal foi acesa simbolizando a inauguração da CCTV América Latina. Além de Saad, o secretário municipal de Relações Internacionais de São Paulo, Guilherme Furegato Mattar, e o secretário executivo da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Ottoni Fernandes Jr., participaram do ato simbólico.

Luciano Trevisan
Da esq. para dir.: João Carlos Saad, Zhang Changming, Ottoni Fernandes Jr., Qiu Xiaoqi e Guilherme Mattar na inauguração da CCTV América Latina
Questionado por que foi o único empresário da mídia brasileira a discursar no evento, Saad disse que a Rede Bandeirantes ampliará sua parceria com a TV estatal chinesa agora que ela abriu operações na América Latina. "O Brasil é muito grande e operamos em várias partes do país. Nós forneceremos os sinais da Band para transmissão na China em determinadas coberturas", afirmou ao iG .

O diretor de jornalismo da GloboNews, Luiz Cláudio Latgé, disse que a Globo busca vender os produtos da rede para a CCTV, acrescentando que nenhum acordo foi feito ainda.

Com a CCTV América Latina, a rede estatal chinesa, fundada em 1º de maio de 1958, contará com seis bases de operação, sendo as demais na Europa, EUA, Rússia, África e Ásia-Pacífico. Na China, a emissora opera por meio de 26 canais abertos e 13 pagos, tendo diariamente 700 milhões de espectadores. No mundo, a TV atua em 140 países e regiões, atingindo 200 milhões de pessoas. Até o fim deste ano, ela chegará a ter 50 estações de correspondentes no exterior, com a previsão de abrir mais 16 no próximo ano.

    Leia tudo sobre: chinabrasilamérica latinaTVCCTV

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG