Ancara, 5 mar (EFE).- A Turquia expressou hoje seu ceticismo sobre a ordem de detenção ditada pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) contra o presidente sudanês, Omar al-Bashir, alegando que essa decisão pode causar mais problemas no país africano, informou a emissora de notícias NTV.

Em declarações a essa cadeia, de Bruxelas, o ministro de Exteriores turco, Ali Babacan, disse que Ancara considera que os problemas na região sudanesa de Darfur "não podem ser resolvidos sem a liderança e a cooperação" de Bashir.

O próprio Bashir esteve em visita a Ancara na semana passada, convidado pelo presidente turco, Abdullah Gül, em meio aos protestos de grupos de defesa dos direitos humanos.

A Turquia, que não reconhece o TPI, não é o único país que questiona esta decisão.

A China e os países da Liga Árabe, além da União Africana, disseram que esta ordem pode desestabilizar a região, colocando em risco o frágil acordo de paz entre o sul e norte do Sudão.

Tanto os países que reconhecem a Corte (106 nações) quanto os 15 Estados que formam o Conselho de Segurança da ONU podem deter Bashir assim que ele deixar o Sudão. EFE dt-jk/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.