Ancara, 29 dez (EFE).- O Governo turco anunciou hoje que interrompeu seu trabalho de mediador para conseguir conversas de paz diretas entre Israel e Síria devido à ofensiva do Exército israelense sobre Gaza.

"Continuar as conversas nestas circunstâncias é impossível", explicou aos jornalistas o ministro de Exteriores turco, Ali Babacan, após se reunir com seu colega egípcio, Ahmed Abdul Gheit.

"Não se podem manter conversas de paz com a Síria e combater ao mesmo tempo na frente Israel-Palestina", recalcou Babacan para explicar a impossibilidade de prosseguir com os esforços mediadores.

"O primeiro-ministro israelense (Ehud) Olmert esteve na Turquia (na semana passada) para debater como avançar nas conversas com a Síria. Seguir com essas conversas e ao mesmo tempo levar as relações com os palestinos a uma situação de guerra nos entristece muito", acrescentou Babacan.

O chefe da diplomacia turca disse a Israel a que detenha "a operação militar imediatamente, e que Hamas deve parar suas ações, que se transformaram na razão dos ataques israelenses".

Síria e Israel iniciaram em maio passado negociações indiretas de paz, com mediação da Turquia, cuja diplomacia estava realizando esforços para levar as partes a um encontro direto.

Síria e Israel se encontram em estado de "não-beligerância" desde 1974, após se enfrentarem em três guerras em 1948, 1967 e 1973.

Desde então, ambos os países travaram combates em solo libanês e Israel efetuou bombardeios aéreos em várias ocasiões sobre o território sírio.

As negociações se interromperam há três meses depois que o primeiro-ministro israelense Olmert renunciou por suspeita de corrupção.

Antes, as últimas negociações entre Síria e Israel aconteceram em 2000 nos EUA e fracassaram diante da incapacidade de alcançar um acordo sobre as Colinas de Golã, em poder de Israel desde a Guerra dos Seis Dias de 1967 e reivindicadas por Damasco. EFE dt/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.