Ancara, 5 jan (EFE).- A Turquia e a Síria se manifestaram hoje, em Ancara, a favor de um cessar-fogo entre israelenses e palestinos vigiado por observadores internacionais, para que seja durável.

Assim afirmaram, em entrevista coletiva, os ministros de Exteriores turco, Ali Babacan, e sírio, Walid al-Moualem, após uma reunião que entre os dois na capital turca.

"Como um cessar-fogo pode ser durável? Estamos trabalhando nisso e a comunidade internacional tem responsabilidade a respeito. Nós consideramos que um cessar-fogo sustentável seria possível com observadores internacionais em Gaza", disse Babacan.

Moualem, que na sua visita de um dia também foi recebido pelo primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, e pelo presidente turco, Abdullah Gül, disse que tinha sido enviado pelo chefe de Estado sírio, Bashar al-Assad, para expressar o apoio de seu país aos esforços diplomáticos da Turquia.

Os dois ministros destacaram que a população de Gaza está em uma espécie de "prisão aberta", onde mesmo antes da operação militar era muito difícil a entrada e saída das pessoas e de bens, e pediram que a comunidade internacional atue imediatamente para colocar fim à tragédia humana no local.

Sobre o plano de duas fases - um cessar-fogo e depois uma força internacional para vigiar o mesmo - no qual a Turquia está trabalhando, Babacan não quis responder a uma pergunta sobre os países que enviariam tropas de observadores a Gaza.

Para o chefe da diplomacia turca, neste momento, essa questão é apenas um "detalhe", pois agora a prioridade é colocar fim ao massacre de seres humanos.

"Nada é mais valioso que a vida de uma criança", disse.

No entanto, reconheceu que a Turquia não poderia escapar da responsabilidade de participar dessa eventual força de paz.

Com relação ao cessar-fogo pelo qual Ancara está intermediando, Babacan disse que "ambas as partes têm suas prioridades".

Destacou que os palestinos em Gaza vivem há anos em uma espécie de prisão aberta: "há três meses foram necessários dois meses para fazer chegar a Gaza um comboio de 15 caminhões com ajuda humanitária. A vida em Gaza tem que voltar ao normal".

Já o ministro sírio definiu o ataque israelense como uma operação "contra todos os acordos e a lei internacional", e se mostrou confiante de que os esforços de Ancara e Damasco darão resultados.

A imprensa turca destacou que a visita de Moualem faz parte dos intensos esforços diplomáticos de Ancara para mediar no conflito do Oriente Médio.

Entre eles, Babacan manteve ontem à noite conversas telefônicas com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, com o ministro de Exteriores britânico, David Miliband, e com outras autoridades.

Erdogan e Gül devem se reunir esta noite para avaliar o alcançado até agora e estudar quais serão os próximos passos da Turquia nesta crise. EFE dt/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.