Turquia discute estocar urânio enriquecido do Irã

A Turquia e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) estão discutindo uma proposta para permitir que o Irã estoque parte de seu urânio enriquecido na Turquia. O Irã está sob pressão internacional para aceitar um acordo que prevê o envio de urânio enriquecido ao exterior para ser reprocessado.

BBC Brasil |

Até agora o país recusou ofertas da Rússia e da França para fazer o reprocessamento, insistindo que seu programa nuclear é para fins exclusivamente pacíficos.

Mas os Estados Unidos e a Europa dizem que a quantidade de urânio que o Irã está enriquecendo é suficiente para construir uma bomba nuclear.

O recente estreitamento de laços entre a Turquia e o Irã causou certo desconforto entre os aliados tradicionais da Turquia no Ocidente.

A recepção calorosa oferecida pelo presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinjad, ao primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Ergodan, no mês passado, em Teerã, provocou certa aflição em Washington.

Mas qual seria o propósito do estreitamento das relações entre os dois países?
A Turquia está emergindo como uma potência regional e um potencial mediador no Oriente Médio.

Até agora o Irã tem se mostrado aberto a considerar a oferta da Turquia, um vizinho cuja população é majoritariamente muçulmana.

Os dois países discutiram a proposta na segunda-feira durante a Cúpula Islâmica.

A Turquia não possui programa nuclear e todas as repetidas tentativas realizadas no passado foram mal-sucedidas.

Mas, segundo a AIEA, o país tem todas as condições de construir as instalações necessárias para a estocagem do urânio iraniano, sob sua supervisão.

Se o acordo der certo, a Turquia poderá provar o valor de sua política de não criar problemas com os países vizinhos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG