Turquia descarta participação do PKK em ataque em casamento

Ancara - O ministro do Interior da Turquia, Beshir Atalay, descartou hoje o envolvimento do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no ataque armado em um casamento que terminou com 45 mortos, em sua maioria mulheres e crianças.

EFE |

"Segundo nossas primeiras informações, trata-se de um ataque por hostilidades entre famílias do povoado", disse Atalay.

A possibilidade de um atentado terrorista esteve presente, já que a maioria dos homens que assistia ao casamento era de guardas rurais, paramilitares curdos leais a Ancara que lutam contra o PKK.

O ataque aconteceu quando moradores da localidade de Bilge, na província de Mardin, celebravam o casamento da filha do chefe da aldeia, Cemil Celebi.

Por volta das 21h30 locais de ontem, quatro ou cinco homens encapuzados invadiram as duas casas onde ocorria o casamento e dispararam com metralhadora contra os presentes de forma indiscriminada durante cerca de 25 minutos.

A aldeia de Bilge, onde vivem 32 famílias, tem uma população total de 300 pessoas, a grande maioria de sobrenome Celebi, e praticamente todos os moradores sabiam manejar armas devido a sua condição de guardas rurais.

Uma sobrevivente de 19 anos disse à emissora "NTV" que os autores do ataque dispararam contra todos, e que ela só conseguir escapar se arrastando pelo chão até um quarto próximo.

Segundo a "NTV", os noivos, Sevgi Celebi e Habip Ari, estão entre os mortos no ataque.

    Leia tudo sobre: turquia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG