Turquia busca sobreviventes em meio aos escombros

Tremor de 7,2 graus de magnitude deixou quase 280 mortos; segundo estimativas, número de vítimas pode chegar a mil

iG São Paulo |

AFP
Equipes de resgate procuram por sobreviventes em prédio atingido na região de Van
Equipes de resgate trabalham ininterruptamente à procura de sobreviventes presos sob escombros de prédios depois que um terremoto de magnitude 7,2 atingiu o leste da Turquia no domingo.

O tremor deixou 279 mortos e cerca de 1,3 mil feridos, a maioria na cidade de Ercis, onde dezenas de prédios desabaram. Ainda não se sabe o número de desaparecidos.

Durante a noite, os serviços de emergência tiveram de contar com geradores para os trabalhos de resgate, por causa de apagões constantes. Moradores ajudaram nas buscas cavando em meio aos destroços, usando pás ou as próprias mãos.

No domingo, autoridades estimaram que o número de vítimas pode chegar a 1 mil. "Estimamos entre 500 e mil mortos", afirmou Mustafa Erdick, chefe do observatório Kandili, a agência sismográfica da Turquia. Segundo ele, a estimativa é feita com base na estrutura das casas e na força do terremoto

Erdick afirmou que o tremor ocorreu "muito perto da superfície", a apenas 5 km de profundidade. Por isso, foi sentido como um terremoto de 8 ou 9 graus de magnitude. O terremoto atingiu a região às 13h41 no horário local (8h41 em Brasília), com o epicentro 16 quilômetros a nordeste da cidade de Van, que também foi muito afetada.

Em seguida, houve diversos tremores secundários na mesma área, incluindo dois de magnitude 5,6 e um de 6, na noite de domingo. Temendo novos terremotos, dezenas de milhares de moradores passaram a noite nas ruas enfrentando temperaturas abaixo de zero e aquecidos apenas por fogueiras.

Visita do premiê

O primeiro-ministro turco, Reccep Tayyip Erdogan, sobrevoou a área atingida de helicóptero. Ele afirmou que os vilarejos próximos a Van foram os mais destruídos, já que a maioria das construções era de tijolos.

O premiê agradeceu as ofertas de ajuda de outros países, mas disse que a Turquia conseguirá lidar com o desastre sozinha. Uma das ofertas foi feita por Israel, com quem Ancara vive uma crise diplomática por causa de um ataque israelense a uma frota de ajuda humanitária para Gaza que deixou nove turcos mortos.

Falha geológica

A Turquia é bastante vulnerável a terremotos porque fica sobre uma grande falha geológica. A Turquia fica espremida entre duas placas tectônicas - a da Eurásia, ao norte, e a da África-Arábia ao sul -, que se atritam uma sobre a outra, segundo o Instituto Francês de Física Global (IPGP), com sede em Paris.

O terremoto de domingo aconteceu na falha oriental da Anatólia, onde uma placa na forma de seta, abrangendo a Península Arábica e parte do sudeste da Turquia e do Iraque, força sua entrada sob a placa da Eurásia em uma velocidade média de 2,4 centímetros por ano.

Essa mesma falha teria provocado o terremoto de Spitak, que sacudiu a Armênia em 1988, um evento de 6,9 graus de magnitude que deixou mais de 20 mil mortos. Em 1976, várias cidades na fronteira turco-iraniana foram sacudidas por um sismo de 7,3 graus de magnitude, registrado a 70 km do tremor desse domingo.

A outra grande frente sísmica da Turquia se situa na falha setentrional da Anatólia, onde foram registrados vários tremores no último século ao longo de quase toda a sua extensão.

Um terremoto de 7,8 graus de magnitude, ocorrido em 1939 em Erzincan, deixou cerca de 33 mil mortos, e o terremoto de Izmir, em 1999, com magnitude calculada entre 7,6 e 7,7 graus, deixou 17 mil mortos e 50 mil feridos, além de cerca de meio milhão de desabrigados.

*Com BBC e AFP

    Leia tudo sobre: turquiaterremototremor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG