ISTAMBUL (Reuters) - Uma mulher turca acusada de cortar o pênis de seu parceiro vai esperar 18 meses até receber seu veredicto, enquanto um tribunal aguarda para saber se o órgão reimplantado da vítima ainda funciona, informou uma fonte judicial nesta quinta-feira. A corte criminal na cidade de Trabzon vai aguardar uma perícia médica para saber se a vítima de 28 anos recuperou totalmente as funções de seu órgão ou se está permanentemente incapaz, disse um funcionário envolvido no julgamento.

"Para determinar qual crime foi cometido, primeiro precisamos da perícia", disse a fonte. "Vamos continuar realizando audiências sobre o caso de tempos em tempos até termos a perícia."

A acusada, de 39 anos, pode pegar de 1 a 3 anos de prisão se seu antigo parceiro se recuperar, de acordo com o jornal Haber Turk. Caso contrário, ela poderá ser presa por ao menos 8 anos.

A mulher disse ao tribunal que seu ex-parceiro não cumpriu a promessa de casar com ela e a obrigou a se prostituir, além de agredi-la.

Cirurgiões trabalharam por 11 horas para reimplantar o pênis numa operação descrita por eles como bem-sucedida. Segundo o médicos, as funções sexuais dele devem estar totalmente recuperadas em seis meses

A acusada, que não foi detida durante o julgamento, disse ao tribunal que cortou fora o pênis de seu ex-parceiro e o jogou no telhado de um prédio vizinho, aproveitando-se que ele estava bêbado, segundo o jornal.

(Reportagem de Ayla Jean Yackley)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.