Turistas britânicas admitem tentativa de fraude e esperam sentença no Brasil

Rio de Janeiro, 18 ago (EFE).- As turistas britânicas Shanti Andrews e Rebecca Claire, detidas em julho no Rio de Janeiro acusadas de fingir o roubo de suas bagagens para dar o chamado golpe do seguro, admitiram a culpa em julgamento e esperam a sentença, que será lida amanhã, informaram hoje fontes judiciais.

EFE |

Andrews e Claire confessaram os delitos, admitiram que planejavam receber dinheiro do seguro da bagagem e mostraram seu arrependimento em uma audiência que se prolongou ontem por cerca de dez horas e que teve que ser adiada a meia-noite, informou o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro em comunicado divulgado hoje.

O julgamento será retomado amanhã numa sessão na qual o juiz Flavio Itabaiana de Oliveira será encarregado de ler a sentença contra as duas turistas, acusadas de falsidade ideológica, falsa comunicação de crime e tentativa de fraude.

Andrews e Claire, ambas de 23 anos de idade, chegaram ao Rio de Janeiro procedentes de Salvador no último dia 22 de julho e quatro dias depois acudiram a uma delegacia para denunciar o roubo de suas bagagens.

Após escutar o testemunho, os policiais que lhes atenderam suspeitaram da história contada pelas duas jovens e decidiram inspecionar o albergue no qual elas estavam hospedadas, onde encontraram os objetos que supostamente tinham sido roubados.

Durante o julgamento, Andrews assegurou que tinham roubado um computador portátil em uma etapa anterior de sua viagem, na localidade brasileira de Foz do Iguaçu, mas ao chegar ao Rio de Janeiro declararam mais objetos roubados, como um telefone celular, uma câmara digital e uma bolsa de viagem.

Segundo seu testemunho, a ideia, que teria partido de ambas jovens, tinha como objetivo obter uma maior quantia por parte do seguro de viagens.

Nas alegações finais, a Promotoria pediu a condenação das duas britânicas enquanto seu advogado, Renato Neves, alegou que os fatos denunciados eram "atos preparatórios" e, portanto, as acusadas não chegaram a iniciar a execução do delito. EFE edv/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG