Turista espacial faz contagem regressiva para sua segunda excursão à ISS

O americano Charles Simonyi, um pioneiro da informática que fez fortuna na Microsoft, decola nesta quinta-feira de Baikonur a bordo de um foguete Soyuz, convertendo-se assim no primeiro turista a realizar um segundo e caríssimo vôo espacial.

AFP |

Nesta quinta-feira, às 11H49 GMT (8H49 de Brasília), o foguete partirá levando a bordo Simonyi, seu compatriota, o astronauta Michael Baratt, e o cosmonauta russo Guennadi Padalka.

Esta viagem, que partirá do cosmódromo russo de Baikonur (centro do Cazaquistão), é principalmente destinada a substituir alguns dos atuais moradores da Estação Espacial Internacional (ISS). O regresso da Soyuz à Terra está previsto para 6 de abril.

Os tripulantes chegaram a Baikonur uma semana antes do lançamento, depois de um período de treinamento em Moscou. "Tivemos tempo para descansar, treinar e nos alimentarmos muito bem", afirmou Michael Baratt aos jornalistas.

Este vôo será o sétimo realizado por um 'turista espacial', enquanto que Simonyi entrará para a história como o primeiro indivíduo a realizar duas missões desse tipo através do pagamento de uma fortuna.

O preço aumentou consideravelmente em relação à primeira vez, já que Simonyi admitiu que esta segunda experiência custará a significativa quantia de 35 milhões de dólares, contra US$ 25 milhões da primeira.

O acoplamento da Soyuz à ISS é, para Simonyi, o momento mais memorável. "Você está no meio do nada, longe de tudo, e chega a esse objeto fantástico, criado pelo homem, e que tem um aspecto muito frágil", falou à AFP por telefone, dias antes de sua decolagem.

Simonyi, de origem húngara, ficou milionário graças a sua carreira na Microsoft. Apesar de seu fascínio pelas viagens espaciais, prometeu à esposa - uma sueca, com quem casou em novembro passado - que este vôo será o último.

Sua carreira começou em Budapeste como guarda noturno de um laboratório informático. Além de seus preciosos conhecimentos cósmicos, é um experiente piloto de avião e de helicóptero.

Quando era adolescente, seu sonho não era conquistar o espaço e sim sair da Hungria e estudar no Ocidente, conforme explicou antes de seu primeiro vôo. Sua paixão pelo cosmos é mais recente, depois de ter assistido a um lançamento em Cabo Canaveral, o centro espacial americano.

Em 1968, depois de chegar, aos 20 anos, nos Estados Unidos, estudou na prestigiosa Universidade californiana de Berkeley e obteve diploma em engenharia e matemática, seguido de um doutorado em Stanford.

Em 1981 foi contratado por uma então "start-up" da costa ocidental dos Estados Unidos, agora conhecida como Microsoft.

Simonyi obteve a nacionalidade americana e se impôs como um dos artífices dos programas de informática mais utilizados do mundo, o Word e o Excel, e, em 2002, deixou a Microsoft para fundar sua própria empresa, a Intentional Software.

ahe/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG