Turismo no Saara argelino é proibido por motivo de segurança

Argel, 18 nov (EFE).- Uma expedição turística à província de Ghardaia, no sul da Argélia, organizada por uma agência local para um grupo de seis turistas alemães, foi proibida por questões de segurança, informaram hoje fontes locais.

EFE |

A viagem teria 14 dias, partindo da cidade de Menea através do Saara argelino, mas as forças de segurança comunicaram à agência organizadora "Visa Travel" sua proibição, enquanto os turistas também foram impedidos de deixar Menea.

As forças de segurança argelinas justificaram a medida devido a informações sobre movimentos suspeitos de veículos todo terreno na região do Grand Erg, a cerca de 120 quilômetros ao oeste da cidade, e onde a agência previa levar os turistas em camelos.

Há uma semana, o Governo argelino decidiu reforçar as medidas de segurança no sul do país para proteger os campos petrolíferos, aos estrangeiros que trabalham nele e também aos turistas.

Estas medidas foram adotadas em áreas como, Zatiyine, Ghardaia, Tamanraset, Ouargla e Adrar, onde são freqüentes as passagens de grupos terroristas e de quadrilhas de contrabandistas.

As forças aéreas argelinas e a companhia estatal de hidrocarbonetos Sonatrach, que dispõe de aviões ligeiros, realizarão patrulhas aéreas conjuntas, para garantir a vigilância dos gasodutos, oleodutos e outros complexos e edifícios do setor energético.

As medidas a respeito dos turistas consistem em proporcionar escolta aos grupos de visitantes, especialmente nas províncias de Tamanraset e Illizi.

Em março de 2003 um grupo de 32 turistas europeus foi seqüestrado no deserto argelino pelo então Grupo Salafista para a Pregação e o Combate (GSPC), que, em outubro de 2006, passou a chamar-se Al Qaeda para o Magrebe Islâmico (Aami).

Uma parte dos seqüestrados foi liberada após uma ação de forças especiais do Exército na província de Tamanraset, enquanto o resto foi conduzido ao norte de Mali e libertado após um resgate que a imprensa argelina estimou em 5 milhões de euros. EFE sk-jg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG