Turismo diminui 69% no Tibete por causa de distúrbios

Pequim, 31 jul (EFE).- O turismo diminuiu no Tibete no primeiro semestre de 2008 após os distúrbios do dia 14 de março levarem a uma queda anualizada de 69% de visitantes e de 71% nas receitas do setor, informou hoje a agência oficial Xinhua.

EFE |

Segundo as autoridades regionais, durante os seis primeiros meses do ano o Tibete recebeu a visita de 342 mil pessoas que deixaram cerca de US$ 42 milhões, uma diminuição notável com relação ao primeiro semestre de 2007.

Antes da explosão de violência na capital, Lhasa, o setor tinha registrado um forte aumento, com 110 mil turistas no que ia do ano, 60% a mais que na mesma época de 2007.

Por causa dos incidentes de 14 de março, as autoridades chinesas fecharam o acesso de turistas à região autônoma tibetana para o reabrir em 24 de abril para grupos de turistas chineses, em maio para os visitantes de Hong Kong, Macau e Taiwan, e em 25 de junho para o resto dos turistas estrangeiros.

Pouco após o início de abril, o Tibete recebia apenas cerca de 2 mil visitantes, uma queda de 90,8% em relação ao ano anterior.

Três meses depois, o setor mostrou sinais de recuperação, a região recebeu 91 mil visitantes em junho e se espera que o número de visitantes da região em julho chegue a 350 mil. EFE pa/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG