Tunísia admite receber tunisianos presos em Guantánamo

Túnis, 26 mai (EFE).- O ministro de Justiça e Direitos Humanos da Tunísia, Béchir Tekari, afirmou hoje que o país está disposto a receber todos os tunisianos detidos na prisão americana de Guantánamo e que examinará os casos de cada um segundo o princípio da presunção de inocência.

EFE |

Em entrevista coletiva, Tekari disse que o fato de os Estados Unidos estarem negociando a transferência dos presos tunisianos para países europeus "é um assunto que importa somente a eles", mas afirmou que a Tunísia "está completamente disposta a acolher seus cidadãos".

Dez das 240 pessoas ainda detidas em Guantánamo têm nacionalidade tunisiana e os Estados Unidos pediram à Itália que acolhesse pelo menos dois deles, segundo a imprensa italiana.

Em 2007, os EUA entregaram dois presos à Tunísia, que foram julgados e condenados a três e sete anos de prisão.

Algumas ONGs de direitos humanos expressaram o temor de que os detentos possam ser submetidos a torturas se forem devolvidos ao país norte-africano, o que o ministro rejeitou categoricamente.

Segundo Tekari, o caso dos presos já julgados no país "desmente" essas denúncias, as quais qualificou de "pretexto para justificar as conversas com países europeus para acolher os detidos tunisianos".

"Todos os direitos serão preservados", disse o ministro, embora, até o momento, não tenha estabelecido contatos com as autoridades americanas para a repatriação dos presos. EFE ma/pd/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG