Tumulto durante celebração religiosa deixa pelo menos 120 mortos na Índia

Nova Délhi, 3 ago (EFE).- Pelo menos 120 peregrinos morreram hoje por causa de um tumulto quando estavam reunidos nas proximidades de um templo hindu para participar de uma celebração religiosa, a região indiana de Himachal Pradesh.

EFE |

A tragédia aconteceu no acesso do famoso templo de Naina Devi, situado no distrito de Bilaspur, onde no sábado começou uma popular festividade hindu.

Uma fonte do Governo regional de Punjab, de onde procediam muitas das vítimas, citada pela agência "PTI", confirmou o saldo de vítimas.

Além disso, uma fonte da Polícia de Shimla, a capital do estado de Himachal Pradesh, disse que a apuração de vítimas ainda não era definitiva.

O trágico incidente aconteceu depois que o pânico se estendeu entre os peregrinos, por causa do rumor de que havia um deslizamento de pedras na colina onde fica o templo.

Muitas das vítimas são mulheres e crianças, segundo fontes policiais citadas pela agência "Ians".

Os trabalhos de resgate para levar os feridos aos hospitais estão complicados, devido às dificuldades de acesso ao templo - é preciso percorrer cerca de cem metros a pé no trecho final -, às condições meteorológicas adversas e à falta de coordenação entre as equipes, acrescentou a "Ians".

No local do tumulto e na estrada de acesso ao templo, se amontoam os cadáveres das vítimas, muitas delas especialmente vestidas para apresentar suas oferendas no templo.

Segundo a "PTI", familiares das vítimas foram ao local da tragédia para tentar localizar seus entes queridos.

A governadora do estado de Himachal Pradesh, Prabha Rau, lamentou a tragédia e expressou suas condolências aos familiares das vítimas.

O Executivo regional já anunciou que pagará indenizações no valor de 100.000 rúpias (pouco mais de US$ 2.300) aos parentes mais próximos das vítimas fatais e de 50.000 rúpias (US$ 1.100) aos feridos gravemente.

O templo de Naina Devi é um conhecido local de peregrinação situado a cerca de 160 quilômetros da turística cidade de Shimla.

Milhares de peregrinos tinham se deslocado até o local por ocasião dos dez dias de festividade religiosa do Shravan Ashtami, que começou no sábado.

Segundo a tradição, Sati - esposa do deus Shiva - perdeu um olho nesse lugar durante o Tandav, dança com o qual seu marido causava a destruição na terra.

O nome do templo, Naina Devi, significa o olho da deusa, e se transformou em um dos santuários mais populares da Índia, segundo a "Ians".

Esse tipo de incidente não é incomum nas concentrações religiosas na Índia, onde milhares de pessoas se aglomeram freqüentemente com poucas ou nulas medidas de segurança.

No mês passado, seis pessoas morreram e outras 26 ficaram feridas depois de uma correria registrada durante uma celebração religiosa na cidade indiana de Puri. EFE mb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG