Túmulos de soldados muçulmanos são atacados na França

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, qualificou de racismo repugnante a destruição de centenas de túmulos de soldados muçulmanos no norte do país. Esta é a terceira vez em menos de dois anos que as sepulturas de combatentes da Primeira Guerra Mundial no cemitério militar Notre Dame de Lorette, perto da cidade de Arras, são atacadas por vândalos.

BBC Brasil |

Segundo o correspondente da BBC em Paris, Alasdair Sandford, os danos foram descobertos por um passante nesta segunda-feira, dia em que se comemora o festival muçulmano de Eid al-Adha, ou Festa do Sacrifício, que marca o fim da peregrinação a Meca.

Dezenas de milhares de combatentes mortos na Primeira Guerra Mundial estão enterrados no cemitério. Segundo autoridades francesas, cerca de 500 dos 576 túmulos de muçulmanos foram depredados.

Suásticas

Os vândalos desenharam suásticas (um símbolo nazista) e frases insultando o Islamismo e a ministra da Justiça francesa, Rachida Dati, que é muçulmana.

Assim como o presidente Sarkozy, outros ministros e a oposição socialista também condenaram os ataques.

A promotoria disse que o tipo de dano lembra outro ato de vandalismo cometido em abril, pelo qual dois jovens simpatizantes do nazismo foram presos. Um deles já havia sido preso por um ataque anterior, contra sepulturas muçulmanas no mesmo cemitério.

Segundo a polícia, a segurança no cemitério foi reforçada, mas é difícil policiar o local.

Leia mais sobre França

    Leia tudo sobre: frança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG