Tufões deixam mais de 80 mortos na Ásia; 100 pessoas podem estar soterradas

A passagem dos tufões Morakot e Etau pelo leste da Ásia já deixou pelo menos 84 mortos, enquanto as equipes de resgate de Taiwan continuam procurando as mais de 100 pessoas que podem ter ficado soterradas por uma avalanche de lama e lodo, informaram nesta terça-feira fontes oficiais.

AFP |

Ao todo, 62 mortos já foram confirmados em Taiwan, enquanto cerca de 60 pessoas continuam desaparecidas por causa do Morakot, que causou as piores inundações em meio século e bateu os recordes de nível de chuva no território, com 3 metros.

Entre as últimas vítimas figuram as 10 pessoas encontradas mortas perto do rio Chishan, no condado de Kaosiung, segundo a Agência Nacional de luta contra Incêndios de Taiwan.

Na remota vila de Hsiaolin, um trágico deslizamento de lama pode ter deixado mais de 100 pessoas soterradas.

"Cerca de 100 pessoas podem ter sido enterradas vivas (en Hsiaolin)", indicou uma nota da agência, que coordena as operações de busca e resgate, depois que os primeiros membros das equipes de socorro chegaram ao povoado de helicóptero.

As autoridades minimizaram as estimativas de que até 600 pessoas teriam ficado presas em Hsiaolin, alegando que apenas metade das 200 casas da aldeia havia sido atingida pela lama.

"Minha casa se foi. Ficamos presos por quatro dias e estamos com medo", disse à imprensa um morador de Hsiaolin antes de ser resgatado. Ele é uma das 70 pessoas evacuadas helicóptero no povoado.

No condado de Pingtung, no sul de Taiwan, fontes oficiais informaram que um helicóptero com três membros das equipes de resgate caiu devido ao mau tempo.

Dezenas de pessoas confrontaram uma equipe de resgate em uma escola em Chishan, após terem sido proibidas de subir no helicóptero para voltar a Hsiaolin em busca de seus familiares.

"Eu não podia acreditar no que via. A aldeia inteira desapareceu, e não podíamos ver nem os telhados", contou Su Shen-tsun, um dos socorristas.

Segundo a agência, 817 pessoas foram levadas de helicóptero para locais mais seguros e mais de 18 toneladas de ajuda humanitária foram enviadas nesta terça às áreas mais afetadas.

Vários organismos de ajuda humanitária e empresas fizeram doações, que na tarde desta terça-feira já chegavam a mais de 2 bilhões de dólares taiwaneses, segundo as últimas informações.

O ministro japonês para Assuntos Exteriores anunciou uma doação do Japão de 10 milhões de yenes (103.000 dólares) para ajudar as vítimas do tufão em Taiwan.

O ministério da Defesa taiwanês anunciou que cerca de 16.000 homens participam das operações de resgate, auxiliados por veículos blindados e botes infláveis.

O Morakot também causou grandes prejuízos aos agricultores taiwaneses: as perdas chegam a pelo menos 150 milhões de dólares. Além disso, deixou 850.000 casas sem água, de acordo com as autoridades.

O Morakot é um dos piores tufões a atingir Taiwan em 50 anos. Em agosto de 1959, um tufão matou 667 pessonas.

Na China e no Japão, pelo menos 22 pessoas morreram em deslizamentos de terra e inundações.

Além do Morakot, os japoneses foram atingidos por outro tufão, o Etau ("Nuvem de tempestade", na língua das ilhas Palau), que chegou acompanhado por chuvas torrenciais na costa do Pacífico, deixando 13 mortos e vários desaparecidos.

Os japoneses também sofreram um terremoto, registrado às 05H07 desta terça (20H07 GMT de segunda-feira) no oceano Pacífico, a apenas 26,8 km de profundidade e a 30 km da costa da cidade japonesa de Shizuoka (sudoeste de Tóquio), segundo o USGS (Instituto Geológico dos Estados Unidos).

cty-aw/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG