Passagem de tufão deixa 34 mortos e 55 desaparecidos no sul do país, onde 3,6 mil moradores estão isolados

A passagem do tufão Talas pelo sul do Japão deixou pelo menos 34 mortos e 55 desaparecidos, informou nesta segunda-feira a agência de notícias japonesa Kyodo. Além disso, 3,6 mil moradores estão isolados por causa de enchentes, deslizamentos e danos em estradas.

Veículos empilhados são vistos após passagem do tufão Talas por Nachikatsuura, no Japão
AFP
Veículos empilhados são vistos após passagem do tufão Talas por Nachikatsuura, no Japão

Forças de segurança japonesas temem que o número de vítimas ainda aumente nas seis províncias maia afetadas pelo Talas, já que ainda há possibilidade de deslizamentos de terra e pela dificuldade das forças de resgate de chegarem à população.

Segundo a Kyodo, o tufão pode ser o mais devastador do país nos últimos 20 anos. O novo primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, afirmou que será feito "tudo o que for possível" para resgatar moradores em áreas isoladas e procurar os desaparecidos.

Após atravessar a ilha de Shikoku e o sul da de Honshu, o tufão avança agora pelo Mar do Japão em direção nordeste, enquanto provoca fortes e chuvas em boa parte do arquipélago, onde 38 de 43 províncias se mantêm em alerta. Segundo a Agência Meteorológica do Japão, na manhã desta segunda-feira o Talas registrava ventos de mais de 100 km/h e se deslocava a 15 km/h.

Não houve registro de grandes danos às fábricas japonesas. A empresa Tokyo Electric Power Co. disse que a usina nuclear Fukushima Daiichi, destruída por um tsunami em março e localizada no leste do Japão, não foi afetada pela tempestade.

Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.