Tufão "Roke" causa 4 mortes e mantém Japão em alerta

Companhias aéreas anunciaram o cancelamento de 278 voos nacionais nesta quarta-feira

iG São Paulo |

Os ventos e chuvas torrenciais provocados pelo tufão "Roke" deixaram pelo menos quatro mortos e dois desaparecidos no Japão, incluindo uma criança que voltava da escola, segundo o primeiro balanço divulgado. O desastre também fechou fábricas, forçou a retirada de seis mil pessoas e deixou, até o momento, mais de oito mil casas sem eletricidade.

AP
Ondas provocadas pelo tufão batem contra um porto na cidade de Kiho, no Japão

Por volta das 11h locais (23h de Brasília), "Roke" se encontrava perto da península de Kii e avançava rumo ao nordeste a 35 km/h, arrastando fortes chuvas e ventos de até 216 km/h.

Um porta-voz da Agência Meteorológica do Japão, que mantém o alerta em praticamente todo o país, indicou que o tufão, que tocou o solo japonês às 14h locais (2h, horário de Brasília) deverá chegar a Tóquio por volta das 18h e posteriormente continuar em direção

nordeste.

Às 21h, "Roke" deverá se aproximar da província de Fukushima, afetada pela catástrofe de 11 de março e onde se encontra a danificada usina de Fukushima Daiichi, epicentro da crise nuclear provocada pelo desastre.

Algumas obras de recuperação da central nuclearforam suspensas em consequência da passagem do tufão, anunciou a operadora da Tokyo Electric Power (Tepco).

"Adotamos uma série de medidas em previsão da chegada do tufão", declarou o porta-voz da Tepco, Masshi Kato.

"Também adotamos medidas nos locais onde existem riscos de acúmulo de água", completou. Os funcionários fixaram equipamentos para proteger as gruas dos ventos. A Tepco executa obras para cobrir com painéis especiais o reator número 1, muito afetado pelo terremoto e tsunami de 11 de março.

Segundo a televisão pública NHK, até o momento há 5.846 pessoas evacuadas em várias províncias do país, enquanto as autoridades recomendaram a mais de 1 milhão em Nagoya, capital do município de Aichi, que abandonassem suas casas por precaução.

Os fortes ventos e chuvas que precederam o tufão causaram na terça-feira a morte de um pescador de 71 anos na província de Saga, enquanto outro homem de 66 anos faleceu em Nagoya ao cair do terraço de um edifício, indicou a NHK.

Além disso, dois homens foram arrastados pela crescente de dois rios em Nagoya e Ehime, enquanto uma criança de dez anos e um idoso de 84 estão desaparecidos na província de Gifu.

Até as 10h, havia em todo o país mais de 800 casas inundadas, enquanto 8.736 imóveis em seis das 47 províncias do Japão tinham sofrido cortes de luz.

AP
Policiais retiram uma árvore derrubada pelos fortes ventos do tufão Roke, em Tóquio, Japão

A principal montadora japonesa de automóveis, Toyota, paralisou nesta a produção em 11 das 15 unidades do grupo no Japão devido à chegada do tufão Roke.

"A produção não será retomada hoje (quarta-feira) e ainda não há decisão sobre amanhã", explicou a porta-voz da Toyota Dion Corbert à AFP.

As 11 unidades paralisadas ficam em Aichi, centro industrial onde se localizam a sede e a maior parte das fábricas do grupo.

As companhias aéreas anunciaram o cancelamento de 278 voos nacionais nesta quarta-feira por causa de "Roke", que também provocou a suspensão de serviços ferroviários em todo o arquipélago.

Segundo a "NHK", que cita fontes das companhias aéreas, o número de voos cancelados pode aumentar ao longo do dia, já que são esperados fortes ventos nas cercanias do aeroporto de Haneda, em Tóquio, a partir das 15h.

"Roke" é o segundo tufão que afeta o Japão em poucas semanas, depois que no início deste mês "Talas" deixou mais de 100 vítimas, entre mortos e desaparecidos, e danos no valor de 53,4 bilhões de ienes (511 milhões de euros).

Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: japãonagoyatufãoroke

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG