Tufão nas Filipinas deixa 60 mortos e causa naufrágio de barco com 750 pessoas

O tufão Fengshen, que assola as Filipinas desde sábado, deixou 60 mortos e 60 desaparecidos, segundo um registro provisório oficial divulgado neste domingo que poderá aumentar após o naufrágio de um barco com quase 750 pessoas a bordo.

AFP |

Na província de Iloilo, no centro do arquipélago, uma das regiões mais afetadas pelo tufão, pelo menos 60 pessoas morreram e outras 60 desapareceram, informou o administrador provincial Manuel Mejorada.

Esse registro não leva em conta o naufrágio de um navio no qual viajavam 626 passageiros, entre eles 50 crianças, e 121 tripulantes, no centro das Filipinas, na costa da ilha de Sibuyan, por causa da forte ressaca provocada pelo tufão.

Um porta-voz do da guarda costeira, Armand Balilo, afirmou que o registro de mortos deixados pelo naufrágio poderá ser muito elevado. "Tenho esperança de que haja sobreviventes", afirmou.

O navio "Princess of the Star", que na sexta-feira havia deixado Manila com destino a Cebu (centro), enviou um sinal pedindo socorro no sábado em uma área afetada pelo tufão.

"Enviei uma lancha rápida para confirmar as notícias e viram um barco submerso com um buraco no casco. Viram o nome 'Princess of the Star' e, pelo menos quatro corpos", explicou a prefeita da cidade litorânea de San Fernando, Nanette Tansingco, citada por uma rádio local.

Neste domingo foram encontrados três sobreviventes do naufrágio em uma aldeia, informou a Polícia, indicando ter encontrado os corpos de outras quatro pessoas.

"Coletes salva-vidas e pedaços do barco estavam espalhados pela praia. Vi o corpo de uma mulher de cerca de 40 anos próximo à margem, mas foi o único corpo que vi", declarou uma moradora, Melanie Rotoni, à rádio.

A presidente das Filipinas, Gloria Arroyo, que neste domingo viajava para os Estados Unidos para uma visita de dez dias, expressou à Defesa Civil e aos guarda-costas de seu país sua surpresa com o fato de o barco ter saído ao mar apesar do tufão.

"Por que autorizaram o ferry a zarpar, não havia um alerta importante?", perguntou às autoridades durante uma reunião transmitida em cadeia de rádio. "Quero respostas", acrescentou.

O tufão Fengshen -nome do deus do vento chinês- chegou na sexta-feira às Filipinas e causou grandes inundações e deslizamentos de terra no centro do país.

A maioria das 60 vítimas da província de Iloilo morreu afogada nas inundações, afirmou Mejorada. Seus corpos foram encontrados quando começou a baixar o nível da água neste domingo, indicou.

Cerca de 30.000 pessoas nessa região tiveram que se refugiar sábado nos telhados de suas casas antes de serem retiradas. O fornecimento de energia elétrica foi cortado e não deverá ser restabelecido antes de uma semana, segundo autoridades.

Manila, a capital, foi afetada pelo tufão na manhã deste domingo, o que desencadeou cortes de eletricidade e o cancelamento de vários vôos nacionais e internacionais.

O tufão, acompanhado de ventos de até 120 km/h e fortes chuvas, se dirigia neste domingo em direção ao noroeste do arquipélago.

bur-tha/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG