Tufão mata 32 pessoas no Vietnã e 246 nas Filipinas

Por Ho Binh Minh e Raju Gopalakrishnan HANÓI/MANILA (Reuters) - Um forte tufão atingiu a região central do Vietnã na terça-feira, matando 32 pessoas e causando inundações em cidades e vilarejos ao longo da ampla costa após deixar um rastro de destruição nas Filipinas.

Reuters |

O saldo de mortes provocadas pelo tufão Ketsana nas Filipinas subiu para 246 e o prejuízo econômico chegou perto de 100 milhões de dólares, afirmaram autoridades. As Filipinas preparavam-se para outra tempestade que pode atingir o país no final desta semana.

Truong Ngoc Nhi, vice-presidente do Comitê do Povo na província vietnamita de Quang Ngai, disse à televisão estatal que o tufão foi o pior em mais de três décadas.

A autoridade afirmou que trabalhadores tentavam restaurar a eletricidade na refinaria de petróleo de Dung Quat, que deve voltar à atividade na quarta-feira após uma pane elétrica ter fechado a fábrica no mês passado.

A refinaria estava pronta para retomar as operações com 65 por cento de sua capacidade na quarta-feira, haviam dito as autoridades, antes de chegar à capacidade plena de 140 mil barris por dia no mês que vem. Ela iniciou suas operações em fevereiro.

Muitas áreas da região central do Vietnã ficaram inundadas, incluindo partes da cidade portuária de Danang, mostrou a televisão estatal vietnamita VTV. Residências foram danificadas e linhas telefônicas foram derrubadas.

Ao menos 32 pessoas morreram em sete províncias da costa e da região central, informou a VTV. Cerca de 170 mil pessoas foram retiradas de suas casas antes de o tufão atingir o continente. O Ketsana passou pelas Filipinas no fim de semana.

A companhia aérea Vietnam Airlines cancelou todos os voos com destino a Danang e as escolas da região afetada foram fechadas. A companhia aérea afirmou que retomará o serviço na quarta.

A região central do Vietnã atingida pelo Ketsana situa-se no extremo norte da região produtora de arroz do Delta do Mekong. A chuva que atingiu o cinturão de café da região central poderá adiar o início da próxima colheita de café em até 10 dias, mas as exportações não seriam afetadas, disseram comerciantes.

Autoridades estimaram o prejuízo decorrente da tempestade até agora em 4,69 bilhões de pesos (98,5 milhões de dólares). Mais de 1,9 milhão de pessoas foram atingidas e 375 mil abandonaram suas casas e se refugiaram em abrigos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG