Passagem do Nanmadol pelo norte do país causou deslizamentos de terra e matou um adulto e cinco crianças

Motoristas passam por estrada em Batangas, nas Filipinas, em meio à neblina, vento e chuvas causadas por tufão
AP
Motoristas passam por estrada em Batangas, nas Filipinas, em meio à neblina, vento e chuvas causadas por tufão

O tufão Nanmadol atingiu as Filipinas neste sábado, deixando um rastro de destruição no norte do país e deixando seis mortos - um homem e cinco crianças - e pelo menos quatro desaparecidos.

Segundo autoridades, o Nanmadol tocou a terra na cidade de Gonzaga, província de Cagayan, por volta das 6h (horário local). Os ventos chegaram a 200 km/h e cerca de 200 pessoas deixaram suas casas por causa de enchentes.

Em San Fabian, na província de Pangasinan, dois irmãos morreram após o tufão destruir a casa onde moravam. As vítimas - uma menina de seis anos e um menino de cinco anos - ficaram mais de duas horas enterrados na lama e cobertos por detroços até seus corpos serem resgatados por bombeiros.

Em Baguio, uma parede de concreto próxima a um depósito de lixo entrou em colapso e matou três irmãos com idade entre 10 e 15 anos. O prefeito da cidade, Mauricio Domogan, afirmou que outras pessoas estariam presas nos escombros, inclusive a avó das vítimas. Ele também afirmou que um homem que procurava ouro no subúrbio da cidade foi morto em um deslizamento de terra.

Pelo menos outras quatro pessoas estão desaparecidas, incluindo dois pescadores das províncias de Catanduanes e La Union.

As autoridades advertiram sobre a vulnerabilidade dos povoados situados em zonas montanhosas, devido ao perigo das avalanches. No mês passado, 72 pessoas morreram nas Filipinas pela ação combinada de uma tempestade tropical e um tufão, que, além disso, afetou 1 milhão de habitantes.

Entre 15 a 20 tufões afetam anualmente as Filipinas durante a estação chuvosa, que em geral começa em maio e termina em novembro.

Com AP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.