Tropas russas deixam zonas de segurança na Geórgia

Soldados russos se retiraram das zonas de segurança ao redor das províncias separatistas da Ossétia do Sul e Abecásia, na Geórgia, segundo informações do Ministério do Interior russo. Autoridades russas informaram que cinco dos seis postos de controle em volta da Ossétia do Sul foram desmontados.

BBC Brasil |

O presidente russo Dmitry Medvedev afirmou que a retirada terminaria nesta quarta-feira.

"Até a meia-noite (desta quarta) o contingente de tropas de paz da Federação Russa vai deixar a zona de segurança na Ossétia do Sul e Abecásia", afirmou Medvedev durante a Conferência de Política Mundial na cidade francesa de Evian.

Segundo o acordo de cessar-fogo, mediado pelo presidente francês Nicolas Sarkozy, as tropas russas devem se retirar da região até sexta-feira.

A retirada das tropas russas é um dos principais pontos do acordo de cessar-fogo. No entanto, a Rússia pretende manter um contingente de cerca de 8 mil soldados na Abecásia e na Ossétia do Sul - províncias que Moscou reconheceu como Estados independentes.

O conflito na região começou no dia 7 de agosto, quando a Geórgia tentou retomar o controle sobre a Ossétia do Sul à força depois de uma série de conflitos menores.

A Rússia invadiu a região lançando um contra-ataque e expulsando as tropas georgianas da Ossétia do Sul e da Abecásia.

Observadores
Na França, Medvedev afirmou que a Rússia quer que cerca de 200 observadores da União Européia que estão na região "trabalhem como os responsáveis" para evitar mais hostilidades.

"Espero que esta página trágica na história do Cáucaso tenha sido virada e gostaria de destacar mais uma vez o papel construtivo da União Européia, na busca por opções pacíficas para superar a crise (...). Foi na União Européia que encontramos um parceiro responsável e prático. Acredito que esta é a prova da maturidade das relações entre a Rússia e a União Européia", afirmou.

A União Européia quer que seus observadores tenham acesso às regiões da Ossétia do Sul e Abecásia. Mas, apesar da parceria, a Rússia já se recusou várias vezes a garantir este acesso.

Líderes ocidentais condenaram a criação das zonas de segurança e também o reconhecimento das duas regiões como independentes pela Rússia.

Na manhã desta quarta-feira vários veículos blindados russos foram vistos se dirigindo à Ossétia do Sul.

O comandante das tropas russas na região afirmou que a retirada dos seis postos de controle terminaria até o final do dia.

"Tudo está correndo como o previsto. Tudo será anotado e registrado em documentos", afirmou o general Marat Kulakhmetov.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG