Tropas russas abandonam acampamentos na Geórgia

As tropas russas levantaram neste sábado os cinco acampamentos principais no oeste da Geórgia, como haviam prometido desmantelar em um acordo assinado em 8 de setembro entre Rússia e União Européia, anunciou o ministério georgiano do Interior.

AFP |

"Posso confirmar que levantaram as cinco bases russas no eixo Poti-Senaki (oeste). As tropas russas se dirigem para a Abkházia", afirmou à AFP o porta-voz do ministério do Interior, Shota Utiachvili.

Uma coluna de caminhões e veículos blindados de transporte de tropas partiu de Nabada às 07H45 (00H45 Brasília).

A unidade, que tinha cerca de 70 militares, foi instalada próxima a uma praia nas margens do Mar Negro para controlar o tráfego marítimo do Porto de Poti em direção a região separatista georgiana da Abkházia.

"Iremos formando um comboio com outros postos de controle", revelou um oficial à AFP, em referência a outras unidades instaladas em Poti e na região de Senaki, um entroncamento rodoviário e ferroviário que dá acesso à Abkházia.

"Marchamos dentro de um raio. Vamos para a Abkházia, voltamos para a Rússia", declarou mais cedo um soldado.

Os moradores que estavam acordados comemoraram a saída dos russos.

A Abkházia é uma das regiões separatistas georgianas nas quais começou em agosto um conflito que, segundo as estimativas, deixou centenas de mortos dos dois lados e milhares de deslocados.

O conflito também provocou um racha diplomático entre Rússia e Ocidente, com tensões sem precedentes desde a Guerra Fria.

Esta retirada obedece ao acordo assinado entre presidente semestral da União Européia (UE), o francês Nicolas Sarkozy, e seu colega russo Dmitri Medvedev no dia 8 de setembro.

Medvedev aceitou retirar as tropas dos postos estratégicos entre Poti e Senaki antes de segunda-feira, como parte de uma retirada que deve estar completada em meados de outubro, assim como o envio de 200 observadores da UE à Geórgia.

Porém, Moscou insiste en que manterá 7.600 soldados na Abkházia e Ossétia do Sul, a outra região separatista, o que provocou a revolta de Tbilisi e a afirmação dos Estados Unidos de que o Kremlin estava violando o acordo de cessar-fogo.

Apesar da retirada russa, um policial georgiano morreu neste sábado ao ser atingido por tiros procedentes de um posto de controle abkházio situado na periferia desta região separatista.

ib-ao/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG