Washington, 25 abr (EFE).- O Exército e as forças policiais iraquianas precisam de anos de melhora antes de contar com os recursos humanos e técnicos necessários para poderem garantir seu território, afirma um novo relatório que foi divulgado hoje.

O relatório, que foi antecipado de forma exclusiva pelo jornal "USA Today", foi elaborado pelo Inspetor Geral Especial para a Reconstrução do Iraque, grupo criado pelo Congresso para supervisionar os trabalhos de reconstrução no país árabe, que é liderado por Stuart Bowen.

O estudo diz que, segundo números oficiais de Bagdá, as forças de segurança contavam com 530 mil pessoas em março, mas Bowen e sua equipe mencionam que um número "substancial" de funcionários de forças de segurança foram assassinados, estão feridos, afastados do trabalho ou simplesmente nunca aparecem para trabalhar.

O estudo conclui que, diante destas circunstâncias, é necessário analisar com cautela os números oficiais.

O Pentágono, no entanto, afirma que os dados que Bagdá maneja são confiáveis.

O "USA Today" recorda que o Congresso destinou US$ 20 bilhões desde 2003 para o treino e melhora das forças militares e a Polícia iraquiana.

A Casa Branca afirmou que não foi estabelecida uma data fixa para que as forças iraquianas assumam a segurança do país.

"Tudo depende das condições no terreno", declarou a porta-voz da residência oficial americana Dana Perino em declarações repercutidas pelo "USA Today". EFE tb/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.