Cabul, 20 abr (EFE).- Quatro pessoas morreram, incluindo dois insurgentes, em decorrência de disparos de membros da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês) contra seu veículo no leste do Afeganistão, informou a organização em comunicado.

O fato aconteceu na noite desta segunda-feira na província oriental de Khost, na fronteira com o Paquistão, quando um comboio da Isaf retornava a seu campo base e abriu fogo contra um veículo não identificado, após vários avisos para que parasse.

A Isaf identificou dois dos falecidos como "conhecidos insurgentes" e não informou nada sobre os outros dois, devido, segundo esclareceu à agência Efe um porta-voz da organização, ao fato de ainda não ter tido acesso a dados sobre suas identidades.

O comboio das tropas, relatou a Isaf, voltava a um campo base de Khost depois de desativar uma bomba rolante, quando se aproximou de um veículo que viajava em sentido contrário.

A Isaf fez sinais ao motorista para diminuir a velocidade, mas o motorista apagou as luzes dianteiras do carro e acelerou em direção ao comboio.

Após vários tiros de advertência, os soldados da Isaf dispararam para inutilizar o veículo, e depois apontaram contra seus ocupantes.

"A patrulha proporcionou assistência médica imediata aos ocupantes do veículo, mas os quatro morreram no local", assegurou a Isaf.

As tropas internacionais no Afeganistão protagonizaram frequentes tiroteios contra veículos, em casos de motoristas que não cumprem ordens de parada nos postos de controle rodoviário ou de comboios militares.

No último dia 12 de abril, quatro civis morreram e outros 18 sofreram ferimentos por disparos das forças da Isaf na província sulina de Kandahar contra um ônibus, cujo motorista seguiu dirigindo apesar das advertências para que parasse.

Segundo relatório da ONU, 2.412 civis perderam a vida por conta do conflito armado em 2009, cerca de 25% deles em ações militares atribuídas às forças estrangeiras e afegãs. EFE lo-nt/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.