Tropas dos EUA ajudarão a garantir segurança no Haiti

Por Andrew Cawthorne e Catherine Bremer PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Os Estados Unidos enviarão mais tropas na segunda-feira para ajudar nos trabalhos de resgate no Haiti, enquanto dezenas de milhares de haitianos feridos, com fome e sede que sobreviveram ao terremoto da semana passada esperam desesperadamente por ajuda alimentar e tratamento médico.

Reuters |

O Comando do Sul, parte das Forças Armadas dos Estados Unidos, anunciou que 2.200 fuzileiros navais com equipamentos pesados para remoção de escombros, ajuda médica e helicópteros se juntarão às 5 mil tropas norte-americanas que já estão na região. O objetivo é ter 10 mil militares norte-americanos na área para participar das operações de resgate, disse o porta-voz José Ruiz, do Comando do Sul.

Líderes mundiais prometeram quantidades enormes de ajuda para reconstruir o Haiti, devastado pelo terremoto de terça-feira que matou cerca de 200 mil pessoas e deixou a capital do país, Porto Príncipe, em ruínas.

Equipes de ajuda encontravam dificuldades para entregar alimentos e ajuda médica para os sobreviventes, muitos deles feridos e vivendo em tendas improvisadas em ruas cheias de escombros e corpos em decomposição.

Mas quase uma semana após a tragédia, a ajuda só começava a chegar àqueles que precisam.

O presidente do Haiti, René Préval, disse no domingo que as tropas dos Estados Unidos ajudarão as forças de paz da Organização das Nações Unidas a manter a ordem no país, em que a polícia nacional e as tropas da ONU não têm conseguido garantir segurança total.

Falando ao programa "This Week", da emissora de TV norte-americana ABC, o comandante das operações militares dos EUA no Haiti, general Ken Keen, disse: "Estamos aqui principalmente para a assistência humanitária, mas a segurança é um componente crítico... Vamos lidar com essa situação, da segurança".

O ex-presidente norte-americano Bill Clinton, enviado especial da ONU para o Haiti, deve se reunir nesta segunda-feira com Préval, cujo gabinete se reuniu no domingo do lado de fora de um quartel da polícia em um círculo de cadeiras plásticas brancas.

O chefe de missões de paz da ONU, Alain Le Roy, disse que nesta segunda-feira que será feito um pedido ao Conselho de Segurança das Nações Unidas para que aprove um aumento no número de tropas e policiais da ONU no Haiti.

Outra autoridade da ONU disse que serão pedidos mais 1.250 capacetes azuis para ajudar o contingente haitiano, que sofreu dezenas de baixas por conta do terremoto de magnitude 7. Vários militares da ONU estão desaparecidos.

(Reportagem adicional de Tom Brown, Joseph Guyler Delva, Eduardo Muñoz e Carlos Rawlins em Porto Príncipe, Anthony Boadle em Miami e Louis Charbonneau nas Nações Unidas)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG