Tropas de Ruanda começam a se retirar de província da RDC

Kinshasa, 21 fev (EFE).- O Governo da República Democrática do Congo (RDC) confirmou que as tropas de Ruanda que atuam em conjunto com o Exército congolês na província de Kivu Norte começaram hoje a se retirar gradativamente do país.

EFE |

O ministro de Comunicação e Imprensa congolês, Lambert Mende, informou que o fim das operações conjuntas das Forças Armadas Congolesas (FARDC) e das Forças de Defesa Ruandesas (FDR) contra um grupo rebelde ruandês "foi decidido pelas duas partes após uma avaliação da situação no terreno".

"A retirada das tropas ruandesas começou hoje e achamos que estará concluída na metade da semana que vem, como foi estipulado entre os dois Governos e os dois Estados-Maiores (das respectivas Forças Armadas)", disse Mende, em declarações reproduzidas pela "Rádio Okapi", da ONU.

O ministro explicou que os Governos congolês e ruandês decidiram colocar fim à operação militar conjunta após tomar conhecimento de uma "sensível melhoria na situação de segurança para as populações civis e a estabilidade da região".

As Forças Armadas da RDC e de Ruanda iniciaram no dia 20 de janeiro suas operações militares conjuntas com o objetivo de desarmar os insurgentes das Forças Democráticas para a Libertação de Ruanda (FDLR) e estabelecer as bases de uma paz duradoura no leste congolês.

O governador da província de Kivu Norte, Julien Paluku Kahongya, disse que a retirada das tropas ruandesas do território congolês só poderá ser concluída dentro de três ou quatro dias.

No entanto, um porta-voz da Missão da ONU na RDC (Monuc), Madnodje Mounoubai, disse que, por enquanto, esse organismo não pôde confirmar se as tropas ruandesas estão realmente se retirando do país. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG