As forças russas de manutenção da paz poderão patrulhar vários km em território georgiano, mas sem entrar em centros urbanos importantes ou impedir a liberdade de circulação, segundo uma carta enviada pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, a seu colega georgiano, Mikhail Saakashvili.

O objetivo da missiva era esclarecer os termos do acordo de cessar-fogo apresentado pela França no início da semana e aprovado em seguida pela Geórgia e pela Rússia.

Segundo a carta assinada por Sarkozy e datada do dia 14 de agosto, as forças de paz russas poderão percorrer "vários quilômetros" dentro do território georgiano a partir do limite administrativo da Ossétia do Sul, mas não deverão entrar em nenhum grande centro urbano.

A carta cita especificamente a cidade de Gori, no centro da Geórgia.

"Somente as tropas de manuntenção da paz estarão autorizadas a efetuar patrulhas. As demais forças terão que se retirar e voltar para as posições que ocupavam antes" do início do conflito, em 7 de agosto.

"Será preciso definir acordos específicos para garantir a liberdade de movimento e de circulação nos principais eixos viários e ferroviários da Geórgia", prossegue o texto.

im/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.