Tropas da Geórgia cercam capital da Ossétia do Sul

A capital da região separatista da Ossétia do Sul, Tskhinvali, foi cercada pelas forças georgianas na madrugada desta sexta-feira, após violentos combates, disse à AFP o ministro georgiano da Reintegração, Temur Iakobachvili.

AFP |

"Tskhinvali está cercada pelas forças armadas georgianas", revelou à AFP, destacando que Tbilisi não tem como objetivo "assaltar Tskhinvali, mas sim neutralizar as posições dos separatistas".

A capital da região separatista era sacudida por violentas explosões e clarões iluminavam o céu, constatou o correspondente da AFP em um posto de fronteira georgiano, a 5 km de Tskhinvali.

As explosões ocorriam a cada 20 ou 30 segundos, em meio a rajadas de metralhadora.

Segundo um oficial das forças da Ossétia do Sul, citado pela agência russa Interfax, 15 civis morreram vítimas dos disparos georgianos contra Tskhinvali.

Dimitri Medoev, representante da Ossétia do Sul em Moscou, confirmou que a ofensiva já deixou "mortos e muitos feridos".

A Geórgia lançou na noite de quinta-feira um "assalto" à república separatista da Ossétia do Sul, confirmou o ministério georgiano do Interior.

"Está em curso um assalto, com combates nos arredores de Tskhinvali", declarou à AFP o porta-voz do ministério georgiano do Interior, Chota Otiachvili.

Anteriormente, o presidente deste território, Eduard Kokoity, descreveu "combates violentos" entre as forças da Geórgia e da Ossétia, qualificando o "ataque" contra Tskhinvali de ação "pérfida e vil" perpetrada pelo presidente georgiano, Mikhail Saakashvili.

Tiros de morteiros e de armas pesadas foram disparados contra Tskhinvali a partir de aldeias georgianas dos arredores, informaram as agências de notícias russas, citando autoridades da Ossétia.

De acordo com o chefe das forças georgianas de manutenção da paz nesta região separatista, o governo da Geórgia resolveu "restaurar a ordem constitucional" na Ossétia do Sul.

"O governo georgiano decidiu restaurar a ordem constitucional na zona de conflito", anunciou o general Mamuka Kurashvili em uma declaração transmitida pelo canal de TV georgiano Rustavi-2.

As tensões na Ossétia do Sul e na Abkházia, outra região separatista georgiana, aumentaram nos últimos meses. Os dois territórios contam com o apoio de Moscou.

A Ossétia do Sul, que proclamou sua independência em 1992, após o desmoronamento da União Soviética, que aderir à Federação Russa, da qual já faz parte a Ossétia do Norte.

dfg/yw/sd/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG