Tropas chinesas atiram contra tibetanos, dizem ativistas

De acordo com grupo com sede em Londres, repressão a protesto na província de Sichuan deixou um homem morto

iG São Paulo |

Tropas chinesas atiraram nesta segunda-feira contra manifestantes tibetanos na província de Sichuan, sul da China, afirmaou o grupo pró-direitos humanos Free Tibet, que tem sede em Londres. O confronto deixou um morto.

De acordo com o grupo, milhares de tibetanos marcharam de um cruzamento até a sede do governo em Ganzi, a capital da província.

Eles protestavam contra a prisão de tibetanos que distribuíam planfletos com o slogan “O Tibete precisa de liberdade”.

As forças de segurança chinesas estão em alerta por causa de 16 incidentes de autoimolações por parte de tibetanos no ano passado, numa demonstração do ressentimento cada vez maior contra o controle do governo chinês à sua religião.

Ativistas disseram que o planfleto afirmava que os tibetanos não deviam comemorar o Ano Novo, que cai em 22 de janeiro, por causa das recentes autoimolações e pela situação geral do Tibete.

Um homem de 49 anos chamado Yonten foi morto e outros 30 manifestantes ficaram feridos, de acordo com ativistas. As informações não puderam ser confirmadas pela imprensa internacional.

Procurado pela agência Reuters, um funcionário do setor de segurança da região disse que não houve nenhum incidente. "Não há nada acontecendo, não sei de nada", disse ele, que em seguida bateu o telefone.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: tibetechinasichuan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG