Trombólise pode ser aplicada até 4,5 horas após um ataque de apoplexia

(embargada até às 18h, horário de Brasília) Viena, 24 set (EFE).- A trombólise, tratamento mais eficaz conhecido atualmente para tratar da apoplexia, pode ser aplicada até mesmo 4,5 horas após o ataque, uma hora e meia a mais que o tempo respeitado até agora, indicam estudos divulgados hoje.

EFE |

Trata-se de uma novidade importante, sobretudo porque muitos atingidos e seus familiares esperam tempo demais para chamar um médico de emergência.

Da pesquisa européia participaram 821 pacientes internados na Clínica Universitária de Heidelberg (Alemanha) após terem sofrido um ataque de apoplexia causado por um coágulo (não como conseqüência de uma hemorragia cerebral).

Mais da metade, 418 pessoas, foram tratadas com rtPA em espaço de tempo de 3 horas e 59 minutos após o ataque e o resultado foi positivo em 52,4% dos casos. Já nos 403 pacientes que receberam um placebo, o resultado foi de 45,2%.

No entanto, a mortalidade foi a mesma para ambos os grupos e a proporção de hemorragias cerebrais com sintomas - uma das complicações do tratamento - subiu para 2,4% entre os submetidos à trombólise, maior que o 0,2% registrado nos pacientes sem o tratamento.

Os resultados do estudo, que será publicado amanhã pela revista "New England Journal of Medicine", coincidem com os divulgados na última semana pelo "The Lancet" sobre um trabalho baseado na comparação dos efeitos do tratamento de 664 pacientes que receberam rtPA intravenoso entre três e 4,5 horas após o ataque, com os de 11.865 doentes que foram submetidos ao mesmo tratamento nas três primeiras horas.

Os cientistas não detectaram diferenças importantes entre os que recebem o tratamento três horas após o ataque e os que o usaram em um tempo ainda mais longo.

A mortalidade entre o primeiro grupo foi de 12,7%, enquanto no segundo foi de 12,2%. Já a recuperação completa da pessoa foi registrada em 58% e 56,3% dos casos, respectivamente. EFE wr/rb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG