Tripulantes aéreos são condenados em Dubai por SMS de teor sexy

DUBAI (Reuters) - Dois membros de uma tripulação aérea nos Emirados Árabes Unidos foram condenados a três meses de prisão em Dubai por terem trocado mensagens de texto por celular com teor sexualmente explícito, informou um jornal na quarta-feira, no mais recente de uma série de ações por indecência movidas contra estrangeiros. Os dois tripulantes -- uma comissária de bordo indiana e seu supervisor de serviços de cabine -- foram condenados por coerção para cometer pecados e sentenciados inicialmente a seis meses de prisão, disse o jornal The National em seu site na Internet, citando documentos de tribunal.

Reuters |

Na semana passada, após recurso, a sentença foi reduzida para três meses de prisão, e a ordem de deportação contra os dois réus foi suspensa, disse o jornal, que publicou o teor das mensagens trocadas.

A população estrangeira de Dubai vem crescendo rapidamente nos últimos anos, com muitas pessoas mudando-se ao centro comercial e turístico do Golfo árabe devido à isenção de impostos e o clima ensolarado o ano inteiro.

Tudo isso vem desafiando a população do país, que hoje é superada em número por estrangeiros, levando à preocupação de que o crescimento acelerado seja uma ameaça à identidade social e religiosa dos habitantes nativos, em uma região que ainda é profundamente conservadora.

O jornal disse que o caso veio à tona depois de o marido da comissária de bordo ter movido uma ação contra sua esposa, um ano atrás, acusando-a de manter um relacionamento ilícito com o supervisor. De acordo com o jornal, o casal está mergulhado em uma batalha de divórcio desde 2007.

O incidente é o processo mais recente movido contra estrangeiros acusados de desrespeitar os costumes locais.

Em um caso separado, um casal britânico flagrado beijando-se em público em Dubai está apelando contra uma sentença de um mês de prisão decretada depois de uma mãe árabe ter se queixado de que sua filha assistiu à indiscrição do casal.

Em um caso que ganhou destaque em 2008, um casal britânico escapou da prisão por pouco depois de um tribunal ter considerado que as duas pessoas eram culpadas de atividade sexual extraconjugal sob efeito de álcool, cometida em público, em uma praia do emirado.

Os dois foram condenados a três meses de prisão a ser seguida por deportação, mas, depois de apelar da sentença, a condenação à prisão foi revogada.

Em um caso separado deste ano, um casal britânico que dividiu um quarto de hotel conseguiu escapar de ir a julgamento em Dubai por ter relações sexuais extraconjugais. A acusação foi anulada depois que os britânicos exibiram uma certidão de casamento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG