Tripulação da próxima missão para a ISS é confirmada

Moscou, 7 mai (EFE).- A tripulação principal da próxima expedição à Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês) foi confirmada hoje após dois dias de testes, anunciou hoje a comissão encarregada de avaliar os astronautas.

EFE |

Com isso, no próximo dia 27, às 7h35 de Brasília, partirão da base de Baikonur, no Cazaquistão, o cosmonauta russo Roman Romanenko, seu colega canadense Robert Thirsk e o astronauta da Agência Espacial Europeia (ESA, em inglês) Frank de Winne, informou a agência oficial "RIA Novosti".

A tripulação reserva é formada pelo russo Dmitri Kondratiev, seu colega da Nasa (agência espacial americana) Chris Hadfield e o astronauta holandês André Kuipers.

Durante dois dias, as tripulações principal e reserva tiveram que demonstrar suas habilidades nos simuladores terrestres da ISS e da nave Soyuz TMA.

A missão terá duração de 180 dias, durante os quais os astronautas receberão na ISS três naves de carga Progress, realizarão duas caminhadas espaciais e desencaixarão e voltarão a acoplar a Soyuz TMA-14 de um módulo a outro da plataforma orbital.

Além disso, deverão acoplar e separar o cargueiro japonês HTV-1, além de conduzir um amplo programa de experimentos científicos.

A Soyuz TMA-15 transportará à ISS o primeiro grupo de astronautas que não substituirá, mas sim se somará à atual tripulação.

Atualmente, a plataforma orbital hospeda o russo Gennady Padalka, que continuará como comandante da missão, seu colega da Nasa Michael Barratt e o astronauta japonês Koichi Wakata.

Às 15h37 de hoje, horário de Brasília, será lançada a partir da base de Baikonur a nave de carga Progress M-02M com 2,5 toneladas de carga a bordo, à qual deve se acoplar à ISS no próximo dia 12.

A carga inclui a nova roupa espacial Orlan-MK, além de comida, equipamento médico e científico.

A Progress M-02M é a segunda nave de carga da nova série do gênero, e se diferencia das anteriores principalmente por seus sistemas de comando digitais.

Já a Progress M-66, que permanecia acoplada à ISS desde 13 de fevereiro, foi separada da estação ontem e funcionará durante duas semanas como laboratório antes de ser derrubada no próximo dia 18 no oceano Pacífico. EFE egw/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG