Tribunal tailandês emite ordens de detenção contra Shinawatra e 13 líderes

BANGCOC - Um tribunal de Justiça da Tailândia emitiu hoje ordens de detenção contra o ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra e 13 aliados, devido aos violentos protestos organizados pelos simpatizantes do ex-líder para derrubar o governo, que deixaram dois mortos e 123 feridos.

EFE |

O porta-voz da Polícia de Bangcoc, Suporn Pansua, disse que as ordens de detenção são por reunião ilícita e incitar alterações da ordem pública, em relação às chamadas de Shinawatra aos simpatizantes para que fizessem a revolução e manifestações realizadas depois do estado de exceção na capital e em cinco províncias vizinhas.

O estado de exceção, declarado no domingo, proíbe a reunião de mais de cinco pessoas ou qualquer outra reunião pública que as autoridades considerarem perigosa para a estabilidade nacional.

Vários líderes da Frente Unida para a Democracia e contra a Ditadura, plataforma social de Shinawatra que organizou os protestos, estão sob custódia da polícia desde esta manhã, quando decidiram cancelar as manifestações e levantar o cerco que mantinham sobre o Palácio de Governo desde 26 de março.

Shinawatra, condenado à revelia em outubro do ano passado a dois anos de prisão por crime de abuso de poder quando governou o país, entre 2001 e 2006, está no exílio desde agosto.

Exército acaba com protestos na Tailândia; assista ao vídeo:

Leia mais sobre Tailândia

    Leia tudo sobre: tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG