Tribunal Supremo birmanês rejeita testemunhas da defesa de Suu Kyi

Bangcoc, 29 jun (EFE).- A Corte Suprema de Mianmar (antiga Birmânia) rejeitou o recurso de apelação apresentado pelos advogados da líder opositora, Aung San Suu Kyi, para que a defesa possa apresentar mais testemunhas no julgamento ao qual está sendo submetida por violar os termos da prisão domiciliar que cumpria desde 2003.

EFE |

A decisão do Supremo implica que a equipe que defende a Nobel da Paz poderá apresentar unicamente duas testemunhas e não quatro como reivindicou durante a audiência realizada na quarta-feira passada.

Desde que começou o julgamento em meados de maio passado, a Promotoria apresentou cerca de 20 testemunhas, a maioria policiais.

Os advogados de Suu Kyi, de 64 anos e encerrada desde o dia 14 de maio no presídio de segurança máxima de Insein, pediram o comparecimento de dois destacados membros da Liga Nacional pela Democracia (LND), Tin Oo e Win Tin.

Após vários adiamentos, o julgamento contra Suu Kyi está previsto para ser retomado no dia 3 de julho, de acordo com fontes da LND.

EFE grc/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG