Tribunal sobre assassinato de Hariri está fora da agenda Sarkozy-Assad

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e seu homólogo sírio, Bachar al-Assad, não conversaram, neste sábado, sobre o tema do tribunal internacional sobre o assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafic Hariri, já que não é negociável, disse uma fonte da presidência francesa.

AFP |

"Não discutimos, em absoluto, porque não há nada a falar, nada a negociar", explicou essa fonte, ao final do encontro entre ambos os presidentes, em Paris.

O tribunal "foi criado por decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Está sendo instalado. A França deu, além de tudo, uma contribuição significativa de 6 milhões de euros", lembrou.

"O procurador continua fazendo seu trabalho. Seu mandato foi prolongado até o fim do ano. Esperamos que tenha terminado seus trabalhos para essa data. Se não for assim, o Conselho de Segurança, a seu pedido, estenderá seu mandato", acrescentou.

"A França não tem nada a dizer sobre o tema. É a comunidade internacional, por intermédio do Conselho de Segurança, que assumiu esse tema, em relação com as autoridades libanesas", explicou.

npk/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG