Tribunal retoma julgamento de Suu Kyi

Bangcoc, 21 mai (EFE).- O tribunal especial retomou hoje na prisão de Insein o julgamento da líder do movimento democrata birmanês e Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, assistido na véspera por diplomatas e jornalistas em um aparente exercício de publicidade da Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia).

EFE |

A quarta audiência do julgamento de Suu Kyi por descumprir os termos da prisão domiciliar que cumpre há seis anos começou pouco antes do meio-dia (local), a portas fechadas, e em meio a medidas de segurança.

Fontes da Liga Nacional pela Democracia (LND), o partido liderado por Suu Kyi, indicaram que após a "abertura de ontem a um reduzido público, o julgamento retoma a direção marcada pelo Governo".

Na véspera, as autoridades militares abriram a terceira audiência do julgamento a 25 diplomatas europeus, asiáticos, e dos Estados Unidos, assim como a alguns jornalistas birmaneses, muitos deles de meios de comunicação ligados ao regime presidido pelo general Than Shwe.

A detenção e o julgamento da Nobel da Paz de 1991 ocorrem a duas semanas do fim de sua mais recente prisão domiciliar, punição que cumpriu durante mais de 13 dos últimos 19 anos.

Na semana passada, as autoridades acusaram formalmente Suu Kyi de descumprir os termos de sua detenção quando permitiu que um americano dormisse em sua casa no princípio de maio.

John William Yettaw, de 53 anos, foi detido em 6 de maio após abandonar a casa da líder opositora quando retornava nadando pelo lago Inya.

Uma sentença desfavorável impediria Suu Kyi de concorrer às eleições parlamentares que a Junta Militar pretende organizar em 2010. O veredicto pode sair na semana que vem. EFE grc/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG