Tribunal rejeita pedido de Karadzic para retirada de acusações

Bruxelas, 8 jul (EFE).- O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) rejeitou hoje o pedido do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic para a retirada das acusações contra si por um suposto acordo de imunidade estipulado em 1996 com os Estados Unidos.

EFE |

O TPII considerou que, mesmo se esse acordo fosse válido, seu conteúdo não comprometeria este tribunal das Nações Unidas.

"A corte não aceita a afirmação do acusado, segundo a qual o tribunal está comprometido pelo acordo", diz a decisão, divulgada hoje pelo TPII.

Richard Holbrooke, então mediador americano para a antiga Iugoslávia, "não atuava em representação real ou aparente" do Conselho de Segurança da ONU, já que quem prometia imunidade era "essencialmente uma terceira parte sem conexão com o TPII".

Karadzic apresentou seu pedido em 25 de maio, mas já tinha usado o argumento de seu suposto acordo desde seus primeiros comparecimentos perante o tribunal.

O ex-líder servo-bósnio assegura que Holbrooke prometeu a imunidade caso desaparecesse da vida pública após um acordo de paz na guerra da Bósnia (1992-95).

Segundo Karadzic, esse acordo com o mediador americano foi fechado na madrugada entre os dias 18 e 19 de julho de 1996 em Belgrado.

Karadzic é acusado por onze crimes de guerra, entre eles genocídio, supostamente cometidos durante a guerra da Bósnia. EFE rcf/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG