Tribunal rejeita novo pedido de adiamento de julgamento de Menem

Buenos Aires, 7 nov (EFE).- O tribunal que julga Carlos Menem por contrabando de armas a Equador e Croácia rejeitou um novo pedido da defesa do ex-presidente da Argentina para que fosse suspenso o processo, informaram hoje fontes judiciais.

EFE |

O advogado de defesa Maximiliano Rusconi, que foi designado na semana passada, argumentou que os cinco dias que dados pelo tribunal eram "insuficientes" para ler um texto que tem aproximadamente 64 mil folhas.

Porém, o tribunal considerou que "o debate foi fixado há quatro meses" e a ausência de algum dos advogados à leitura das acusações "não altera" o exercício do direito à defesa dos processados.

Rusconi também destacou que Menem ainda não fez os exames médicos complementares para saber sobre seu estado de saúde, como exigiu o tribunal, que, em sua resposta, pediu que se complete essas avaliações médicas em um prazo de três dias.

O julgamento por contrabando de armas é o primeiro processo judicial aberto no país contra um ex-governante democrático.

Os juízes deverão estabelecer se houve um desvio no destino de 6.500 toneladas de armas e munição que três decretos assinados por Menem autorizaram a enviar a Panamá e Venezuela, mas que terminaram no Equador e na Croácia. EFE cw/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG