Tribunal rejeita apelação de condenado por participação no 11/9

WASHINGTON - Um tribunal de apelações rejeitou nesta segunda-feira um recurso apresentado por Zacarias Moussaoui, único acusado formalmente por envolvimento nos ataques do 11 de Setembro. Moussaoui foi sentenciado à prisão perpétua.

EFE |

Os advogados de Moussaoui argumentaram que seus direitos constitucionais foram violados durante o julgamento, pois não teve acesso a informações confidenciais do governo que poderiam ter ajudado em sua defesa.

No entanto, a corte de apelações, composta por três juízes e com sede em Richmond, no Estado americano da Virgínia, rejeitou esse argumento e reafirmou a condenação.

Moussaoui, um cidadão francês de ascendência marroquina, é a única pessoa condenada nos Estados Unidos por participar dos atentados de 2001. Ele foi detido pelo FBI (Polícia federal americana) três semanas antes dos ataques após despertar suspeitas em um instrutor de voo do Estado de Minnesota.

Em 2005, Moussaoui se declarou culpado de participar do plano da rede terrorista Al-Qaeda para os ataques contra Nova York, Washington e Pensilvânia em setembro de 2001.

Moussaoui afirmou no julgamento que, segundo o plano, ele deveria ter assumido o controle de um quinto avião para jogá-lo contra a Casa Branca.

A defesa alegou que Moussaoui não pôde escolher o advogado que desejava para seu julgamento e "somente pôde escolher entre declarar-se culpado ou enfrentar um julgamento de pena de morte injusto. Essa foi uma escolha inconstitucional e, como resultado, sua declaração de culpabilidade foi involuntária".

Por isso, a defesa pediu à corte de apelação para que ordenasse um novo julgamento.

Por outro lado, a Promotoria argumentou que Moussaoui insistiu em se declarar culpado, contra a opinião de seus advogados, e conhecia as linhas básicas da informação restrita do governo americano.

Leia mais sobre terrorismo

    Leia tudo sobre: 11/09al-qaedaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG