Tribunal ordena denúncia de ex-assessor de Fujimori e 3 ex-militares

Lima, 7 abr (EFE).- A sala do tribunal supremo peruano que condenou hoje o ex-presidente Alberto Fujimori a 25 anos de prisão também ordenou na parte resolutiva da sentença que sejam denunciados o ex-assessor Vladimiro Montesinos e três ex-militares.

EFE |

Após condenar o ex-governante, a corte estabeleceu que devem ser formuladas acusações contra Montesinos, o ex-comandante general do Exército Nicolás Hermoza Ríos e o ex-coronel Alberto Pinto Cárdenas, ex-chefe do Serviço de Inteligência do Exército (SIE) e integrante do grupo militar Colina.

Os três serão denunciados perante a Promotoria provincial pelo sequestro agravado do repórter Gustavo Gorriti, ex-correspondente do jornal espanhol "El País", cujo caso fez parte do processo contra Fujimori.

A sala penal especial da Corte Suprema de Justiça também decidiu que sejam adotadas outras ações penais contra o ex-general Hermoza Ríos, atualmente preso, pelo delito de rebelião, e Willy Chirinos Chirinos, ex-chefe da Direção de Inteligência do Exército (Dinte), por falso testemunho.

Além de condenar Fujimori e ordenar uma série de indenizações, o tribunal estabeleceu que as vítimas dos massacres de Barrios Altos e La Cantuta não integravam o grupo terrorista Sendero Luminoso. EFE dub/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG