Tribunal marroquino adia para 9 de janeiro audiência sobre rede terrorista

Rabat, 26 dez (EFE).- O tribunal de apelação da localidade marroquina de Salé adiou hoje para 9 de janeiro de 2008 o julgamento contra 35 acusados de pertencer à rede terrorista Belliraj, desmantelada em fevereiro.

EFE |

O tribunal aceitou o pedido de um novo advogado de defesa, que apresentou hoje seu pedido para defender os acusados, e que pediu um prazo para consultar seus arquivos e preparar a alegação.

Os membros desse grupo, cujo suposto líder e principal acusado é Abdelkader Belliraj, um marroquino de 50 anos e que também tem nacionalidade belga, estão sendo julgados, entre outras acusações, por "atentar contra a segurança interna do Estado".

São acusados também de "formação de quadrilha para preparar atos terroristas a fim de atentar contra a ordem pública", e de "transporte e posse ilegal de armas de fogo e munição para uso em projetos terroristas".

Além disso, são acusados de "tentativa de homicídio premeditado mediante armas de fogo", "falsificação de documentos oficiais", "usurpação de função para executar projetos terroristas", "entrega e coleta de fundos para financiar projetos terroristas" e "lavagem de dinheiro".

Na lista de detidos, também estão comerciantes, um desempregado com antecedentes criminais, um garçom, um gerente de hotel, professores, um pedreiro, um delegado de Polícia, um jornalista e um diretor de uma empresa de telecomunicações.

As autoridades indicaram em 20 de fevereiro que a rede preparava um atentado contra políticos, militares e membros da comunidade judaica, assim como tinha se coordenado com a Al Qaeda, Hisbolá e o argelino Grupo Salafista para a Pregação e o Combate (GSPC), mas admitiram desconhecer a vinculação concreta. EFE hm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG