Tribunal mantém condenação do filho do guitarrista do Pink Floyd

Charlie Gilmour foi sentenciado a 16 meses após participar de uma manifestação estudantil em Londres no final de 2010

iG São Paulo |

O Tribunal de Apelação do Reino Unido rejeitou nesta sexta-feira o recurso apresentado por Charlie Gilmour, filho de David Gilmour, guitarrista da banda Pink Floyd. Charlie foi condenado a 16 meses de prisão após participar de uma manifestação estudantil realizada em Londres no final de 2010.

AP
Charlie Gilmour (centro) deixa o tribunal ao lado de seus pais, David e Polly Gilmour (15/7)

O jovem, que participou de um protesto contra o aumento da mensalidade universitária em dezembro, era parte de um grupo que se desviou da marcha e atacou um comboio que levava o príncipe Charles e sua mulher, Camilla Prker-Bowles. No julgamento de Gilmour , mais cedo este ano, um magistrado afirmou que ele havia pulado sobre o capô de um Jaguar da comitiva real e jogou uma lata de lixo contra o carro.

Gilmour também é acusado de ter quebrado uma vitrine, roubado a perna de uma manequim, além de ter sido fotografado pendurado em uma bandeira do Reino Unido sobre o Cenotáfio, um memorial de guerra.

O estudante da Universidade de Cambridge de 21 anos, que está preso desde julho, se declarou culpado da violenta desordem, mas questionou a duração de sua sentença. Além de rejeitar o recurso apresentado pelo jovem, os juízes dp Tribunal de Apelação voltaram a afirmar nesta sexta que sua condenação não foi excessiva nem equivocada.

Antes de ter seu recurso rejeitado, Charlie Gilmour já havia declarado que no dia da manifestação não tinha se dado conta do significado do Cenotáfio. No entanto, a desculpa não foi aceita pela corte. Na época, o rapaz também foi filmado dizendo: "Eles romperam a lei moral, nós vamos romper todas as leis."

Com AP e EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG