Washington, 21 jul (EFE).- Um tribunal de apelação deu hoje parecer favorável à emissora CBS, ao decidir que o canal não tem que pagar a multa de US$ 550 mil imposta pelo fato de a cantora Janet Jackson ter mostrado um seio durante a final do Super Bowl de 2004.

Na sentença, os juízes argumentaram que a Comissão Federal de Comunicações (FCC), o organismo regulador americano para rádio e televisão, agiu de forma "arbitrária e caprichosa" quando impôs a multa à "CBS" por transmitir imagens "indecentes".

O tribunal disse que entende que a FCC tenha mudado nesse momento a política que seguiu durante 30 anos de impor multas por imagens indecentes apenas se forem fortes demais para o público.

A decisão indica ainda que a "CBS" não é responsável pelos atos de Janet Jackson e Justin Timberlake.

O incidente protagonizado por Janet Jackson e o cantor Justin Timberlake ocorreu no intervalo da final do Super Bowl de fevereiro de 2004, quando os dois simulavam uma tentativa de sedução enquanto interpretavam a música "Rock Your Body".

No final da canção, Timberlake rasgou a parte da roupa de Janet que cobria um dos seios da cantora.

A "CBS" se desculpou perante a audiência pelo incidente, da mesma forma que Timberlake, que disse que, obviamente, não tinha intenção de rasgar a roupa de Janet.

No entanto, a FCC multou em US$ 27.500, a máxima penalidade estipulada para casos de indecência, cada uma das 20 emissoras de televisão que pertencem à cadeia "CBS" e que transmitiram a polêmica atuação de Janet Jackson. EFE cae/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.