Tribunal liberta governador boliviano acusado de genocídio

LA PAZ - Um tribunal boliviano ordenou na segunda-feira a libertação do governador boliviano acusado de genocídio, em uma decisão criticada imediatamente pelo governo de Evo Morales, que denunciou uma suposta influência política no órgão judicial. .

Redação com agências internacionais |

A libertação do governador de Pando, Leopoldo Fernández, foi anunciada em tribunal da corte do distrito de Chuquisaca, que declarou procedente o habeas corpus pedido pela defesa do acusado, segundo informaram cadeias de rádio e televisão bolivianas

Fernández, membro de um grupo de quatro governadores opositores, é processado por ser o suposto autor intelectual do massacre de camponeses no dia 11 de setembro, durante uma onda de protestos antigovernamentais.

Sua prisão e o processo permitiram que o governo federal tomasse o controle do distrito de Pando, enfrentando o bloqueio opositor antes das negociações cruciais, que terminaram na semana passada com um pacto político que acertou um referendo em janeiro, sobre a nova Constituição proposta por Morales.

Morales escolheu um militar para ser governador interino de Pando e anunciou no fim de semana passado que ele continuará no cargo até a eleição de uma nova autoridade regional, em abril de 2010.

Protestos

Ao tomar conhecimento da decisão, os manifestantes de grupos sociais se organizaram em frente à sede da justiça local, onde Fernández ainda permanece detido. "Não vamos deixar que o tirem. Terão que passar por cima de nossos cadáveres", declarou a irmã de um dos três estudantes que morreram no confronto entre governistas e opositores.

Leia mais sobre Bolívia

    Leia tudo sobre: bolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG