Tribunal europeu rejeita pedido de associações contra eutanásia de italiana

Estrasburgo (França), 22 dez (EFE) - O Tribunal Europeu de Direitos Humanos rejeitou hoje o processo de várias associações italianas que pediram para se evitar a suspensão da alimentação e para que se desligue os aparelhos que mantêm viva a italiana Eluana Englaro, em estado vegetativo há 17 anos.

EFE |

O Tribunal de Estrasburgo disse que os recorrentes -associações de parentes de pessoas com graves deficiências, médicos, advogados e especialistas em bioética- "não têm vínculo direto" com Eluana, por isso os procedimentos sobre a mulher "não os afetam diretamente".

Isso significa, segundo a sentença, que "não podem ser consideradas vítimas diretas das violações" denunciadas.

A razão é que as decisões judiciais contra as quais tinham se erguido "foram adotadas a propósito de circunstâncias concretas e particulares, relativas a uma terceira pessoa".

Além disso, os juízes europeus lembraram que não se pode utilizar o recurso perante as instâncias de Estrasburgo para prevenir uma suposta infração ao Convênio Europeu dos Direitos Humanos, salvo "em circunstâncias completamente excepcionais em que o risco de uma violação futura pode conferir ao recorrente a qualidade de vítima".

O pai de Eluana deseja desligar as máquinas que a mantêm viva.

EFE ac/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG