Tribunal Especial para o Líbano abre suas portas em Haia

Haia, 1º mar (EFE).- A partir de hoje, a cidade de Haia abriga oficialmente um novo tribunal internacional, criado para julgar os assassinos do ex-presidente do Líbano Rafik al-Hariri, morto há quatro anos num atentado que tirou a vida de outras 22 pessoas.

EFE |

Na simbólica cerimônia inaugural do Tribunal Especial para o Líbano (TEL), será apresentado o promotor encarregado de investigar o assassinato de Hariri, o canadense Daniel Bellemare, designado para o posto pela ONU em 14 de novembro de 2007.

Em declarações à rede de TV "Al Arabiya", Bellemare disse que a inauguração da corte não significa que o processo vá começar imediatamente, já que as investigações ainda estão em curso.

"Apresentarei as acusações quando estiver pronto", disse o canadense, que não soube dizer quando isso deve acontecer.

Até o momento, para o TEL só foram escolhidos um promotor e um secretário, que é o britânico Robin Vincent. Os juízes e o presidente da corte continuam indefinidos.

O prédio em que ficarão as salas do tribunal, a antiga sede do serviço secreto holandês, encontra-se no mesmo estado que a corte, atualmente instalada em Leidschendam - perto de Haia - para evitar problemas decorrentes da falta de segurança no Oriente Médio.

O local onde agora funciona uma academia de ginástica para agentes holandeses vai ser transformado e passará a abrigar salas para os julgamentos.

Com um orçamento de US$ 51,4 milhões para 2009, o TEL espera ter todas as instalações prontas até o fim do ano. Só depois acontecerá a cerimônia oficial de inauguração. EFE mr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG