Tribunal espanhol diz que Venezuela ajudou ETA e Farc

A Espanha exigiu explicações da Venezuela depois que um juiz acusou na segunda-feira o governo de Hugo Chávez de ajudar os rebeldes bascos do ETA e a guerrilha colombiana Farc a tramarem possíveis ataques em território espanhol.

Reuters |

Uma sentença da Alta Corte espanhola disse que o governo venezuelano facilitou contatos entre os grupos armados, o que teria levado as Farc a pedirem apoio logístico do ETA caso pretendessem assassinar autoridades colombianas em visita à Espanha, inclusive o presidente Álvaro Uribe.

O juiz Eloy Velasco emitiu mandados de prisão para 13 suspeitos das Farc e do ETA, inclusive um funcionário do governo venezuelano, mas de origem espanhola.

O governo socialista da Espanha, que chegou a ter relações relativamente boas com o radical de esquerda Chávez, exigiu explicações de Caracas.

"O governo espanhol irá agir em concordância com essa explicação", disse o primeiro-ministro Jose Luis Rodriguez Zapatero a jornalistas durante visita à Alemanha.

O parlamentar venezuelano Hayden Pirela, presidente da subcomissão de assuntos fronteiriços e integração da Assembleia Nacional, disse à Reuters que o governo "jamais apoiou e jamais apoiará grupos terroristas".

"Em nenhum momento a Venezuela, ou Chávez ou seus aliados planejam ou planejaram qualquer complô contra ninguém", afirmou.

Leia mais sobre Venezuela

    Leia tudo sobre: chileterremototerremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG