Tribunal dita ordem de detenção contra presidente colombiano e autoridades

Bogotá, 3 set (EFE).- Um vara de co-juízes de um tribunal colombiano ordenou a detenção do presidente Álvaro Uribe, de três altos funcionários do Executivo e de um responsável administrativo do Poder Judiciário por desacato a uma decisão judicial que os obrigava a revisar o salário de funcionários no departamento de Sucre.

EFE |

Os autores da ordem informaram hoje que a decisão também diz respeito ao ministro do Interior e Justiça, Fabio Valencia, e ao da Fazenda, Óscar Iván Zuluaga. Também estão envolvidos a diretora de Planejamento Nacional, Carolina Rentería, e o presidente do Conselho Superior do Judiciário, Hernando Torres.

A ordem de detenção, que só será efetiva após ser revisada pela Corte Suprema de Justiça, foi adotada por uma vara de co-juízes do Tribunal Superior de Sincelejo, capital de Sucre (norte), dentro de um processo por desacato a um recurso constitucional de amparo.

O co-juiz Saúl Mesa Mendoza disse à rádio "RCN" que a decisão derivou do desacato de Uribe e dos outros quatro processados a uma decisão que os obrigava a revisar o salário de 148 funcionários judiciais de Sucre.

Os funcionários apresentaram um recurso de tutela em fevereiro em Sincelejo, que foi decidido a seu favor através de uma sentença que dava aos processados três meses de prazo para cumprir as exigências dos funcionários.

A detenção "é uma decisão que tem que subir para consulta na Corte Suprema de Justiça, para que cobre sua firmeza", acrescentou Mendoza.

Por se tratar de uma questão relacionada a funcionários do Poder Judiciário, os magistrados do Tribunal Superior de Sincelejo se declararam impedidos para tramitá-la e a deixaram nas mãos de co-juízes. EFE jgh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG